© 2019 POR JORNALÍSTICO. ORGULHOSAMENTE CRIADO COM WIX.COM

  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Instagram Basic Black
Inscreva-se gratuitamente para receber notificações de novos posts
Buscar
  • Ana Paula

Projeto Laboratorial - Portal de Notícias (Reportagem Multimídia) II


Transmissões ao vivo de telejornais pelas redes sociais amplia participação e engajamento do público

Por Ana Paula Santos / RU 2149621


Utilização do recurso por emissoras de televisão significa mais participação democrática do público


Cultura Digital: aplicativo da TV Cultura oferece transmissões ao vivo e estimula a interatividade. (Crédito: Ana Paula Santos)


As mídias sociais vêm alterando o modo como as pessoas interagem entre si e com diferentes acontecimentos no mundo.


Além da necessidade de estar presente nas mídias sociais, nota-se que o público tem utilizado as redes sociais para consumir notícias, e o jornalismo, por meio das redes sociais, têm permitido a participação do público, que passa a interagir até mesmo com a produção da notícia.


Dentre os recursos oferecidos pelas redes estão as transmissões ao vivo.


A tendência, que cresce no meio jornalístico, têm sido cada vez mais comum, graças a plataformas como Facebook e Youtube.


Com mais de dois bilhões de usuários, a maior rede social da atualidade, o Facebook, realiza transmissões em tempo real, mais conhecidas como lives.


A combinação entre transmissão, chat e as tradicionais ferramentas de compartilhamento e reações, permite que pessoas de diferentes partes do Brasil e do mundo possam comentar seus pontos de vista em relação aos assuntos abordados pelos telejornais, como é o caso de Jorgivaldo Martins Ribeiro (36), que participa do Jornal da Cultura pelo Facebook: “assisto e comento todos os dias de Manaus”.


Essa dinâmica interacional deve fortalecer cada vez mais a capacidade do público de dialogar e participar mais ativamente do noticiário nacional.


É esse o ponto de vista de Maria Inez Generoso (49): “Gosto de ler os comentários, observar as reações das pessoas. Alguns comentários bem pertinentes e outros melhor não houvesse, mas sei que são válidos para a igualdade no diálogo”.


No Facebook, a visualização do telejornal é acompanhada da possibilidade de conversação entre os telespectadores, os diálogos ocorrem em tempo real, permitindo que o público se expresse sem censura e espontaneamente.


Infográfico apresenta estatísticas da interatividade nas lives do Jornal da Cultura. (Crédito: Ana Paula Santos)


Dispositivos mobile


As redes sociais possibilitaram ao público novos modos de se consumir notícia. Essas novas experiências devem muito ao surgimento de dispositivos móveis capazes de integrar, em um único aparelho, diversas funções na palma da mão.


Os dispositivos mobile permitem que a audiência assista a programações, compartilhe, reaja e as assista de qualquer lugar.


A possibilidade de interagir em tempo real com a programação por meio do smartphone e assistir ao telejornal em tela grande, pela televisão, é uma das principais vantagens dessa convergência, na opinião de Maria Inez: “Eu assisto ao jornal nos dois veículos. Um deles fica sem som, pois um atrapalha o outro, que é o que eu uso para comentar o jornal’, conta, referindo-se à interação pelo chat da transmissão pelas redes sociais.


Maria Inez faz parte de 95% dos brasileiros que acessam a internet enquanto assistem à televisão, segundo pesquisa Ibope de 2018, que analisou os hábitos dos brasileiros em relação à televisão e à internet.


O próprio jornalismo tem estimulado a participação do público pedindo a colaboração do telespectador por meio do envio de fotos, vídeos e depoimentos.


Assim, o público participa tanto da reprodução quanto da criação do telejornal, contribuindo para um jornalismo cada vez mais democrático.



+ Indicações de cursos

Estude e complemente sua formação com os melhores cursos